Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis


 
XENICAL


faseolamina e caseolamina

FASEOLAMINA E CASEOLAMINA: COMER SEM ENGORDAR! NÃO É SONHO, É REALIDADE.

 

O sonho de toda pessoa é poder se fartar numa mesa cheia de iguarias sem ficar com aquele peso na consciência por ter comido demais e, conseqüentemente, aumentar de peso. Pois saiba que isso é possível. Já existem no mercado dois extratos naturais capazes de proporcionar esse milagre: a FASEOLAMINA e a CASEOLAMINA.
Quando o bolo alimentar chega no intestino delgado sofre a ação de enzimas responsáveis pela absorção de suas frações nutricionais, como carboidratos e lipídios. É aí que entram a Faseolamina e a Caseolamina. A primeira inibe a enzima amilase, presente no intestino delgado e responsável pela absorção dos carboidratos, já a segunda inibe a enzima lipase, que proporciona a absorção dos lipídios.
Inibindo essas duas enzimas o valor calórico de uma refeição não é absorvido em sua totalidade, ou seja, o alimento passa pelo intestino delgado sem ser completamente metabolizado e estocado na forma de glicose e gordura.
A regra é simples, sem estocar os "excessos" provenientes da alimentação você emagrece sem ficar com aquele complexo de culpa por ter exagerado no consumo de alimentos.
A associação de Faseolamina com Caseolamina não tira o apetite e é indicado para pessoas com dificuldade de se adaptar a dietas ou, ainda, para aquelas que são regradas mas querem dar uma "escapadinha" no churrasco ou no rodízio de pizzas do final de semana. 



 
Toda pessoa acima do peso pode emagrecer. Para isto basta um pouco de disciplina e força de vontade. Os medicamentos para diminuir a obesidade sempre serão coadjuvantes no tratamento, porém, acelerarão a perda e a manutenção do peso atingido.Existem muitos produtos naturais com eficácia comprovada e livre de efeitos colaterais severos, fazendo com que você acelere seu processo de emagrecimento e que funcionam com objetivos distintos: diminuindo a fome, aumentando a saciedade, aumentando a queima de calorias, diminuindo a absorção de gorduras, etc.
A seguir, alguns fitoterápicos utilizados no tratamento da obesidade:
· Efedra - auxilia na perda do apetite;
· Alcachofra - ajuda na eliminação do colesterol, digestiva;
· Sene - laxativo suave, pois quanto menor o tempo que o bolo alimentar ficar no intestino delgado, menos calorias serão absorvidas;
· Cáscara Sagrada - laxativo suave;
· Cavalinha - levemente diurética. A perda de água diminuirá o inchaço pela retenção de líquido;
· Caseolamina - diminui a absorção de gorduras;
· Faseolamina - diminui a absorção de carboidratos(massas)
· Valeriana - diminui a ansiedade e a compulsão por comer.
Como você pode perceber cada medicamento age de forma diferente. O segredo é querer e poder, com força de vontade e dedicação.dispomos  desses extratos naturais associados, cada qual na sua proporção, de maneira a obter o máximo de efeitos. Porém, nunca esqueça da atividade física e da dieta balanceada.
Duas dicas : cuide da sua alimentação principalmente no inverno, pois a ingestão de calorias é maior para manutenção da temperatura corporal e não fique longos períodos em jejum, seu organismo entenderá que você está passando por uma privação de comida. Além de você comer muito mais por estar morrendo de fome seu corpo estocará muito mais calorias temendo passar por outra privação alimentar.




Escrito por krishmedic às 16h55
[] [envie esta mensagem] []



anfepramona mazindol femproporex

No mercado farmacêutico os nomes comerciais das anfetaminas são: 

nome da anfetamina

 

nome comercial

dietilpropiona ou anfepramona

 

Dualid, Inibex, Hipofagin,

femproporex

 

Desobesi

mazindol

 

Dasten, Absten, Fagolipo,

metanfetamina

 

Pervitin (só uso ilícito)

 Os fabricantes desses produtos costumam acrescentar nas bulas que se trata de medicação adjuvante das dietas hipocalóricas, durante o tratamento de obesidade. Alguns até alertam para que a utilização desta classe de drogas deverá ser por tempo limitado a 4 semanas, somente para auxiliar a adesão à dieta hipocalórica e que o benefício que substâncias desta classe podem oferecer deve ser considerado à luz da relação custo-benefício.

Não obstante, em doses adequadas e tomando-se o cuidado de uma supervisão médica continuada, além do uso concomitante de outros psicotrópicos compensadores dos efeitos colaterais, o tempo de tratamento pode ser bastante mais elástico. Para obesidade mórbida, entretanto, seu uso está sendo cada vez mais abandonado.

A Dietilpropiona (Anfepramona) é o derivado anfetamínico mais utilizado no Brasil. Apesar da Anfepramona ser um anorexígeno potente, apresenta poucos efeitos colaterais. 

A Anfepramona age como neurotransmissor da noradrenalina, sendo o mais potente anorético. Seu local de ação predominante é nos núcleos hipotalâmicos laterais inibindo a fome. Porém, a Anfepramona tem um importante potencial de dependência, quando usado inadvertidamente e em doses altas. As doses variam entre 40 a 120 mg ao dia, geralmente divididas em 2 tomadas e os efeitos colaterais mais comuns são: boca seca, constipação intestinal, irritabilidade, insônia e mais raramente taquicardia e hipertensão arterial.

Outra anfetamina é o Femproporex, o qual também parece ser bem tolerado. É um anorexígeno de ação semelhante a Dietilpropiona, agindo como inibidor do centro da fome hipotalâmico, tendo a noradrenalina como neurotransmissor. Seus efeitos colaterais, são os mesmos mas, em geral, menos intensos que os da Anfepramona. A dose diária varia de 20 a 60 mg ao dia, também dividida em 2 tomadas.

No Brasil usa-se também o Mazindol, um derivado da imidazolina que se assemelha farmacologicamente aos antidepressivos pelo fato de bloquear a recaptação da noradrenalina e da dopamina. O Mazindol tem uma ação totalmente diferente da Anfepramona e do Femproporex, inibindo a recaptação da Noradrenalina nas terminações nervosas.

É bastante possível que o Mazindol tenha sua ação no sistema límbico e não no hipotálamo, como os demais anorexígenos. Além dos efeitos colaterais comuns aos outros anorexígenos, o Mazindol pode precipitar quadros depressivos, agitação psicomotora e sintomas semelhantes ao quadro de pânico. A dose varia de 0,75 mg a 3 mg por dia, também divida em 2 tomadas.

É importante, do ponto de vista psiquiátrico, saber que a perda de peso com dieta costuma causar depressão, ansiedade, irritabilidade, fraqueza e preocupação com alimentos. Por isso, juntamente com anorexígenos, os antidepressivos e ansiolíticos devem ser recomendados.



 


fluoxetina e sibutramina

Fluoxetina

A Fluoxetina é um antidepressivo com propriedades anoréticas. Inibe a recaptação de serotonina nas terminações sinápticas. Pode ser utilizada em dosagens que vão de 40 a 80mg/dia divididas em duas tomadas. Pode causar ansiedade, distúrbios do sono, sudorese e náuseas. Sua utilização é indicada em obesos com síndrome depressiva associada.

Atualmente, muitos casos de obesidade podem ser abordados como um fenômeno psicossomático. A obesidade considerada "reativa" é aquela com etiologia emocional e, normalmente, se caracteriza como fenômeno "io-io" ou "sanfona", tendo em vista seu aspecto cíclico de emagrecimento-gordura. Por traz desse tipo de obesidade, reativa e cíclica, têm sido encontrado casos de depressão e ansiedade (10).

Utilizando-se da escalas de Hamilton para depressão e para ansiedade, Resch et al (10) estudaram 29 obesos. A prevalência de transtornos por gula ou compulsão para comer foi de 57% e de bulimia nervosa foi de apenas 3%. O tratamento de todos foi com fluoxetina, um antidepressivo inibidor seletivo da recaptação de serotonina, associado à terapia cognitiva-comportamental. Os resultados foram bons.

Sibutramina

A Sibutramina tem tanto uma ação serotoninérgica, inibindo a recaptação da serotonina, como também um efeito catecolaminérgio.  Aumentando a serotonina a Sibutramina aumenta a sensação da saciedade, agindo também sobre a compulsão alimentar, enquanto que, aumentando outras catecolaminas, promove um efeito inibidor na sensação de fome.

Segundo a literatura atual, não há risco de dependência química à Sibutramina e sua dose varia de 10 a 20 mg por dia, em dose única pela manhã. No Brasil a Sibutramina tem os nome comerciais de Reductil e Plenty.



Escrito por krishmedic às 16h51
[] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]